BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

segunda-feira, 17 de abril de 2017

A APARIÇÃO DE XAPANÃ E NANÃ II

Acordei cedo naquele dia e fui imediatamente para o quintal fingir que estava fazendo alguma coisa, enquanto procurava uma palma bonita de palha para tecer um paneiro pequeno e bonito pois Xapanã é muito vaidoso e arrogante, e poderia rejeitar minha oferenda caso a achasse feia. Não entendi muito o porquê dele ser assim, pois é coberto por chagas e palhas que escondem suas ulceras dos olhos humanos, mas, segundo Dona Binhí, não deveria subestimá-lo pois se não, ficaria para sempre presa no Palhau Sagrado de Xapanã, e nunca mais conseguiria sair de lá.

Aquilo não me amedrontava, pelo contrário, fazia-me tremer e suar de ansiedade. Queria muito invocar Xapanã, não sabia exatamente porque, mas sabia que minha vontade estava dando-me um sinal inconfundível de que deveria mesmo fazer isso. Sempre fui condenada por ser curiosa, e em muitas das vezes, inconsequente. Mas, sempre deu certo seguir meu ímpeto e instinto selvagens, eles nunca falharam. É como um radar que foi me dado pela natureza e ajuda-me a ter forças para fazer o que mais ninguém tem coragem, pois o espírito do homem é filho do medo.

Fiz dez paneirinhos bonitinhos mas nenhum deles me pareceu agradável à Xapanã. Eu mesma já via-me presa por causa dos horríveis paneirinhos de palha mal tecidos pois minha destreza para essas coisas é zero. Foi quando vi umas fitinhas coloridas, iguais a do Senhor do Bom Fim, e resolvi misturá-las às palhas que estava usando para tecer o paneirinho de Xapanã. Quando aprontei o primeiro paneirinho, fiquei emocionada pois estava lindo e colorido. Nem eu imaginava que faria algo tão bonito.

Peguei os grãos de sementes, sete sementes de milho, sete sementes de feijão, sete sementes de arroz virgem e não batido, sete sementes de café, e algumas pedrinhas tiradas com muito cuidado e permissão de Yara da beirada do rio, e as coloquei dentro dos paneirinhos com muito cuidado para não rasgar nem amassar as palhas pois são muito sensíveis e podem ser danificadas com muita facilidade. Também amarrei os pedacinhos de espelhos na parte de baixo dos paneirinhos, de forma com que ficassem pendurados, e também usei as fitinhas para amarrá-los para que ficassem todos coloridos.

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers