BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

segunda-feira, 13 de março de 2017

SEU OSCAR O FEITICEIRO QUE MORREU 20 VEZES III

Conduzi o casco até a onde estava estendida a malhadeira com muita destreza, Seu Oscar elogiou-me pelo meu desempenho como remador de primeira viagem. Quando ele levantou a malhadeira para fora d'água, tomei um susto com a quantidade de peixes que havia pego. Tinha tudo quanto é tipo de peixes, surubim, tucunaré, pescada, aracú, cuiú, piranha, tambaqui, vários tipos de caras, sulamba, nem lembro direito todas as espécies que haviam na malhadeira de Seu Oscar.

Depois que ele havia retirado todos os peixes das malhas da malhadeira e colocado-os dentro do casco, pediu para que eu remasse e levasse-nos na direção da beirada do rio. Assim que encostamos na beira do rio, ele pulou para fora, e mandou escolher uns peixes para eu levar. Mas do que depressa  pulei para fora do casco também, e não me intimidei, e escolhi peixes grandes e bonitos, como um surubim, uma sulamba que minha mãe adora comer frita, um tambaqui pois haviam sido pego três, e como sabia que todo mundo adorava um cuiú com molho de castanha do Pará, que era especialidade da Dona Georgina, minha mãe, quer dizer, minha vó, também escolhi o segundo maior,já imaginando a delícia que seria feita pelas mágicas mãos de Dono Jojó, quando chegássemos em casa.

Seu Oscar pegou um pedaço de cipó titica e o enfiou pela guelra das cabeças dos peixes fazendo-o varar pelas suas bocas e fez uma cambada de uns nove peixes enormes. Fiquei super feliz pelo presente, afinal de contas, não é todo dia que se tem oportunidade de  ver um caboclo como ele, pescando, e ainda ganhar todos aqueles deliciosos peixes. Agradeci a ele pela gentileza, e imediatamente seu casco já estava no meio do rio, como num piscar de olhos, e disse-me que quando chegasse a festa de São Francisco das Chagas, eu deveria achar o caminho da casa dele, e que fosse visitá-lo quando todos estivessem festejando, e que não ligasse para os cães bravos que vigiavam o caminho, pois não me morderiam nem me atacariam, mas que não levasse ninguém comigo, pois ele me mostraria o porquê a natureza havia me levado para aquele lugar.Convite aceito!


Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers