BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

segunda-feira, 27 de junho de 2016

O ENIGMA

O espírito daquele homem vestido com uma túnica azul escura levou-me muito além do abismo que eu já havia conhecido, quando outro espírito, um anjo com asas cinzas, me mostrou a primeira prisão do abismo, mas aquele estava me levando para um lugar muito mais distante, e não disse-me nenhuma palavra, simplesmente se mostrou e passou por mim, e eu o acompanhei, pois senti em meu espírito que tinha que seguir aquele homem vestido de azul escuro.

Chagamos num abismo muito maior que o outro que eu havia conhecido, e flutuamos sobre toda a boca daquele abismo enorme e escuro, dele não saia som algum, nem mesmo o vento soprava sobre sua face, somente nuvens escuras cobriam a boca daquele abismo, e elas passavam por debaixo de nossos pés, enquanto eu flutuava com aquele homem que até aquele momento não havia me dito nenhuma palavra.

Ele então virou-se para o leste, eu também o acompanhei, afinal de contas, eu sabia que tinha que acompanhá-lo a onde ele fosse. Então, na parte do abismo que dava para o leste, depois do final dele, cresceu uma floresta de árvores brancas enormes que se estenderam por toda aquelas terras depois do grande abismo, e eu achei aquela floresta maravilhosa, e me deslumbrei com a beleza de sua cor, e como estava noite, mas não havia a luz da lua, elas brilhavam naquela noite escura.

Então ele falou pela vez comigo, e perguntou-me se podia uma árvore daquelas viver sozinha, eu lhe respondi que não sabia, mas também perguntei-lhe se podia uma árvore daquelas viver sozinha, e então, uma mão invisível, que somente eu podia ver, veio do céu, e arrancou todas as arvores pela raiz, e ficou somente uma única árvore bem no meio de toda aquela terra onde antes estava a floresta de árvores branca.

Eu olhei para aquele homem, e perguntei se podia uma árvores daquelas viver sozinha, pois afinal de contas, tinha ficado ainda uma árvore que não foi arrancada. Então, assim que eu fechei minha boca, uma pedra negra e quadrada, caiu do céu e esmagou por completo aquela árvore, e eu me virei novamente para o homem que flutuava do meu lado esquerdo, e disse-lhe que então não podia uma árvore viver sozinha, já que aquela ultima árvore que não havia sido arrancada havia sido esmagada por aquela pedra que também caiu do céu.

O homem continuou olhando para o leste e para a pedra que havia esmagado a última árvore branca, e de repente um estrondo estremeceu aquela terra, e uma raiz grandiosa brotou do chão que estava debaixo da pedra, e enrolou-se na pedra, e seu tamanho e grossura aumentaram, e aquela raiz enorme esmagou a pedra em vários pedaços, e depois jogou os pedaços da pedra dentro do abismo.

Então o homem me mandou olhar para a minha direita, para o sul, e a floresta de árvores brancas havia renascido por completo, e seu tamanho era infinitamente maior do que o da primeira. E ele disse ''Este é o enigma. A pedra esmaga a árvore mas a raiz da árvore esmaga a pedra e a lança no abismo.''

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers