BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

quinta-feira, 23 de junho de 2016

A PORQUINHA TOLINHA III

Durante dois meses eu cuidei da porquinha dando-lhe de mamar da comida de meu irmão, então, ela ficou maior que o chapéu de couro vermelho, e eu tive que mostrá-la para todo mundo. Seu Bené logo me xingou, mas quando viu o tamanho da minha porquinha, começou a rir, e dizer que nem ele mesmo estava acreditando que aquela porquinha que tinha nascido do tamanho de um dedo estava viva. Mas, logo adivertiu-me que eu é que teria que comprar o milho e farelo para alimentá-la.

Tia Raimundinha me chamou atrás da casa, e me disse que tinha umas sementes de milho que se eu quisesse, poderíamos fazer um milharal, do outro lado da estrada de Terra Petra, uma comunidade que era distrito de Barreirinha, parte da mata que pertencia a fazenda, e como era plano o terreno daquele lugar, e pegava muito sol, era perfeito para se plantar milho, notícia que eu aceitei na hora pois sabia que teria que dar muita comida para aquela porca.

A Tolinha crescia tão rápido, e estava ficando tão bonita, que até seu Bené me deu um saco de farelo e saco de milho, que comprou quando o regatão do Afonso passou por lá, mas disse que eu teria que pagá-lo, assim que começassem a cair os ouriços de castanha do Pará, que nós iríamos juntar no campo, e depois quebrá-los, para retirarmos somente as castanhas, para vendermos pro seu Afonso, quando ele voltasse em dois meses para vender e comprar nossos produtos que colhíamos no campo, principalmente a castanha do Pará.

Plantamos mais de quinhentos metros de milho,e como nasceu muito rápido, decidimos também plantar feijão, e tudo nasceu e deu fruto muito rápido. Não demorou muito, e lá estava o regatão do seu Afonso encostando no nosso porto, seu Bené logo mandou me chamar, e já falava com seu Afonso, sobre a quantidade de castanha que eu tinha juntado, e que eu tinha muita coisa pra vender, por isso, eu seria a primeira a vender meus produtos, e também a primeira a comprar as coisas que eu precisava para alimentar a Tolinha, o Quito, os carneiros, a minha orta e as minhas galinhas, e também a ração dos pintinhos.

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers