BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

sexta-feira, 21 de março de 2014

OS QUATRO BRUXOS IX

              Caí no chão agachada e com as duas mãos apoiadas sobre a terra, meu coração batia acelerado no mesmo ritmo que o coração da menininha de um ano e meio, o véu negro nos dado pela mulher que ainda estava presa na ilha, desenrolou-se de sobre nós, e a menininha flutuou no ar serenamente como uma pluma quando é levada sem ser abatida pelo vento.

                Sua face começou a resplandecer como o sol do meio dia, tornando-se impossível olha-la com os olhos fixos, ela então, abriu seus bracinhos e disse-me:

                -volte e liberte os outros e quando voltares lhe darei um presente que alegrará muito seu coração.

                -Eu não pensei duas vezes e caminhei novamente até a margem do rio, foi quando vi que o véu negro havia sumido, eu olhei em volta e não vi sinal dele, fiquei preocupada, pois ainda teria que atravessar mais uma criança, a Cecília, e não sabia como iria segurá-la, já que o véu negro havia me permitido lutar com as duas mãos livres, e tinha me dado vantagem durante a travessia, a menininha de um ano e meio disse-me:

                 -Não perturbe seu espírito com essas questões, Yamê Aram, sempre há uma nuvem para fazer sombra e um raio de luz para iluminar, não se abale agora, você cumpriu sua palavra para comigo, não deixando-me vê nem se quer uma luz ou sombra da batalha que travaste na travessia, lembre-se, seu espírito é muito forte e poderá guiar sua mente durante toda essa luta que você comprou por nossa liberdade, sem mesmo perguntar se estávamos certos ou errados, somente seguiu seu coração e fez seu julgamento livre e sem mácula, tenho muita gratidão pelo seu amor por nós, e por isso iluminarei suas costas quando estiveres atravessando e não deixarei que nada a atinja por detrás, e não esqueça que há muito mais poder em seu interior do pensa seus finitos pensamentos, um segredo grandioso ainda está guardado em seu espírito e selado para que você descubra e conheça-o quando chegar a grande hora, use suas mãos e braços e tudo lhe obedecerá.

                   -Aquelas palavras da menininha de ano e meio foram como balsamo derramado em meu coração, uma paz imensa tomou conta de todo meu espírito, e já não havia medo algum dentro de mim. Toquei novamente aquelas águas com as pontas dos dedos dos meus pés e fechei meus olhos, subi sobre a ponte de madeira que havia levantado-se das águas quando estendi minha mão direta em direção à lagoa, respirei fundo, abri meus braços e senti uma brisa suave acariciando meu rosto consolando-me.

                     Aquela paz somente aumentava dentro de meu coração, que agora batia suave como aquela brisa, olhei em direção à ilha e vi os outros espíritos me esperando para libertá-los, uma enorme energia começou percorrer meu corpo, e uma coragem indestrutível apossou-se de meu espírito, eu sabia que eles dependiam totalmente de mim, e eu não podia falhar com eles, senti-me totalmente responsável por aqueles espíritos aprisionados, respirei mais uma vez profundamente e novamente aquela brisa suave tocou-me o rosto de ambos os lados dando-me ainda mais paz em meu coração e espírito.

                     Comecei a correr em alta velocidade sobre a ponte de madeira e logo as bolas de fogo e nuvens de flechas de prata com as pontas negras começaram a vir em minha direção, não tive medo, pelo menos eu estava sozinha e sem ninguém que corresse perigo, quando cheguei no meio da ponte, agachei-me colocando os meus joelhos sobre a ponte, e fechei meus olhos, pude ouvir as vozes dos espíritos que ainda estavam aprisionados, gritando para que eu levantasse para não morrer.

                     A menininha  também começou a gritar mandando-me abrir os olhos e levantar de sobre meus joelhos, mas, eu estava em paz, e continuei naquela posição, sentindo todas as coisas à minha volta, pude sentir cada folha, cada gota de água, cada bola de fogo, cada flecha, cada brisa e névoa que cercava aquela ilha e a ponte onde eu estava, e nada podia me dá medo, eu estava entregue a tudo aquilo que estava acontecendo naquele momento, e uma paz ainda maior inundou-me completamente e a brisa acariciava-me o rosto com mais força.

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers