BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

A CASA MAL ASSOMBRADA V

OS SETE CURUMINS.

  Fiquei semanas brincando de arrumar os brinquedos para serem jogados no chão, por algo que eu não conseguia ver. Mas, que de alguma maneira tinha gostado de mim. Eu podia sentir calor em vez de frio quando estava brincando. Não conseguia perceber maldade. Era uma manifestação serena e amigável.

   Até que um dia eu decidi perguntar quem estava brincando comigo. Um silêncio tomou conta da sala. De repente um menino apareceu diante de mim. Tinha mais ou menos a minha idade. Seus cabelos eram lisos como de índio. Era o Gordinho. Sorridente e com olhar de menino travesso.

  -Sou eu. Disse aquele curumim sorrindo.

  –É só você que brinca comigo? Perguntei sorrindo para ele.

  –Não…Não! Tem mais seis, só que eles tem medo de você.

  –Mas, por que, eu não faço mal? Perguntei assustada, olhando em seus olhos castanho escuro.

  –Eles são mais medrosos. Mas, se eu chamá-los eles viram.

  –Então chama eles pra mim! Por que não fiquei calada!

   Ele sorriu me olhando nos olhos pronunciando palavras num idoma espiritual. Um  vento forte soprou na sala inteira. As cortinas eram enormes e foram levantadas como pena solta no vento.

   Das cavetas da estante de madeira localizada no lado direito da sala saiu outro menino Moreno Claro com cabelo ondulado e olhos bem negros com a noite.

   As cortinas que estavam à minha esquerda levantaram até o teto e desceram, antes de tocar o chão, outro garotinho Neguinho apareceu.

   De debaixo do so fá saiu um garoto Branquinho, com olhos azuis turquesa celeste.

   Um Ruivinho de olhos vermelhos como o sangue (a bicha é daltônica, não exerga verde) surgiu de debaixo da mesa de vidro.

   Um outro Indiozinho saiu de trás do comigo ninguém pode que ficava do lado direito da porta com um espelho refletindo a frente.

    E um Lorinho com olhos cor de violeta saiu de dentro dum quadro enigmático pedurado na parede acima do sofá branco a minha frente.
    Todos eles eram lindos. Cada um com sua beleza. E todos com a minha idade.

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers