BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

A PURAQUÉ E A COBRA GRANDE


Bom, todos os bichos brigam, mas, nenhum como a Puraqué e a Cobra Grande. Elas são inimigas imortais, embora sejam irmãs, destroem o mundo inteiro brigando. Mais do que brigar com a Puraqué, a Cobra Grande adora uma anta! Quando não tem, ela pega um pobre veadinho, ainda mais se for do rabo roxo, não dá nem pra sobremesa, já um veado vermelho dá um certo trabalho, seu chifre é grande, e dificulta um pouco o boquete dessa anaconda da garganta profunda. A Puraqué, por sua vez, não precisa ser tão grande. No entanto, sua descarga elétrica, é capaz de adormecer a Cobra Grande, como o “Boitatá”. Só na selva cobra se chama boi. Mas, essa peçonha fez até Caprichoso e Garantido brigarem por uma música. Dessa briga eu me lembro, quase que saiu um "RATATA", e todo mundo dançava, enquanto os "bois tatas" se engalfinhavam. A Puraqué não engole, a Cobra Grande não dá choque, embora as duas pareçam enguias. Elas brigam tanto, que até Dona Maria, tinha medo da magia que cercava a putaria dessas duas raparigas. Elas nunca viveram na água, sempre evoluíram, andavam como gente, mas, odiavam-se de dia. Frigideira na cara, panela na cabeça, quando não tinha choque nem picada, elas batiam com bacia. A casa rachou no meio, elas tudo dividiam, até São José e São Benedito, não viviam em harmonia. Ninguém dava com elas, e elas pra ninguém davam. Somente choque e picada, se recebia dessas duas descaradas. Uma é morena e briguenta, a outra branca cara de lua, mas, não alumia a caminho de quem toma tacaca na cuia. Dona Maria que o diga, Parintins tremia quando a porrada comia. Ninguém separava, era melhor olhar, na terra, na água ou no ar, o lombo delas ardia. A Cobra Grande tinha veneno, pior que surucucu pico de jaca, que só de encosta na pele, já mata. A Puraqué por sua vez, dá choque de longe, e se caboclo cair mais no fundo, pode dá adeus ao coração que batia. É assim que na selva, em uma cidade de festa, as duas viviam. Tudo era motivo de briga, até quando qualquer um dos dois bois perdia, o rabo da Cobra Grande lambava e a Puraqué produzia energia dando choque até na Dona Maria.

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers