BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

quinta-feira, 19 de julho de 2012

A SAGA DE PEDRO

Pedro tinha apenas dezessete anos, era sonhador. Era como José, filho de Jacó, que sempre sonhou até tornar-se rei no Egito. Sonhou que recebeu a missão de ir pregar o evangelho em Faro, a cidade dos feiticeiros. E toda missão, principalmente quando se é no mundo espiritual, traz chumbo grosso pra cima do caboco. Mas, Pedro tinha fé que segundo seu pastor que compreendeu tratar-se de um segundo Samuel, que também sonhava, e Deus falava com ele, tratou imediatamente de enviar Pedro a seu destino. Chegando em Faro, Pedro entregou os folhetos e começou a falar em alto e bom som, o por quê de sua chegada. Evidentemente todo mundo se espantou com a coragem do menino. A fé de Pedro era tão grande que Deus iria acabar com a feitiçaria naquele local, que ninguém o amedrontava naquele momento, tinha certeza que suas palavras iriam quebrar aqueles corações endurecidos, todos por onde Pedro passava anunciando as boas novas, olhavam aterrorizados pra aquele garoto. A noite no culto, Pedro tinha arrumado tudo pra chegada dos convidados, após três longas horas esperando alguém aparecer, ele decepcionado, vai pra casa. “ Devia ter fica na igreja”. Chegou já deitando em sua cama, tamanha tristeza em seu coração, que não lhe deixou orar. “Devia ter orado”. Derrepente, as panelas da cozinha comeram a tremer, Pedro levanta-se pra ver o era, mas, antes mesmo de chegar na cozinha as panelas foram lançadas em sua direção, ele conseguiu se desviar de duas, mas a terceira foi na testa. Levantando-se rapidamente da mente, começa a repreender a contra atacar- EM NOME DE JESUS EU TE REPREENDO SATANÁS, VOLTA DE ONDE VIESTE! Pedro sente um tapão no pé do ouvido, que o pobre garoto dá três giros no ar, e cai surdo no chão com o tímpano estourado. Corre abre a aporta, mas, quando foi abrir o portão, levou outro tapão na nuca, que não houve necessidade de abrir o portão, aliás nem de atravessar a rua de terra por que na época não tinha asfalto, nosso pobre evangelista soube exatamente como se sentiram os discípulos de Paulo, quando apanharam dos demônios, que nem se quer os conheciam, muito menos iriam obedecer. Antes de conseguir levantar, tomou um chutão na bunda, que lhe economizou uns trinta metros de andar, e nessa surra de verdade, ele apanhou até chegar na beirada do rio amazonas, onde ainda levou muitos tapões no pé do ouvido que nem zumbia mais. Entrou num casco, que nem canoa é, e atravessou o rio amazonas de noite, pra conseguir chegar em Nhamundá, e nunca soube do que apanhou. É a selva gente!

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers