BOAS VINDAS!

Obrigada por visitar meu blog! Espero que tenha gostado! Dúvidas e comentários serão respondidos com atenção. Para ler todos os posts de uma história, é só clicar nos marcadores!



YAMÊ ARAM

quinta-feira, 14 de junho de 2012

O INÍCIO DE TUDO

Nasci em Parintins, numa tarde traumática para minha mãe biológica, que ao comando dos médicos: - METE FORÇA PRA BAIXO! Ela metia pra cima…-RESPIRA! VAMOS LÁ, MAIS UMA VEZ! METE FORÇA PRA BAIXO! Ela metia pra cima… era marinheira de primeira viajem, e sofria para conseguir por para fora, minha cabeçona… e não é modo de dizer, eu mesma tenho pena dela, quando olho no espelho. Não sei se você sabe, quanto dói uma cabeça, ainda mais, grande como a minha? Minha mãe sabe! Finalmente, as quinze hora do dia três de agosto, de mil novecentos e oitenta, depois, de vinte e quatro horas de sofrimento,minha cabeça saiu. Acho que minha mãe, deve ter amaldiçoado-a, por que, cresceu mais ainda! Para você ter ideia, do que minha mãe passou, imagine... uma melancia saindo do meio das suas pernas…Mas, desgraça pouca é pobreza…Quando achou estar livre daquele monstro que ela estava parindo, a luz da cidade inteira se apagou! Também, não é hidrelétrica, É CEAM!, Tudo pode ficar pior ainda, acredite! Os geradores subselentes não ligaram nem por reza brava, e olha que no amazonas, existem rezas, até pra para raios! Vai brincar bobinho, com os amazonenses! Os médicos, corriam loucos pelo hospital, e não conseguiam resolver o problema, até por que, não era deles, era da prefeitura, que certa vez, ficou sitiada pelo povo de Parintins, que deixou o prefeito, e todos os funcionários, reféns durante cinco dias. Comendo marmitéx, sem poder sair do prédio, pois, a prefeitura havia parado de recolher o lixo, e a cidade estava imunda. Mas, o Prefeito Enéias Gonsalves, havia esquecido que todos eram índios, e com eles não se brinca, eles não pagam nem passagem, e se aposentam com quinze anos, pelo menos no amazonas! Lá vale a lei de Moisés “ DENTE POR DENTE, OLHO POR OLHO”, Google Tradutor: PROMETEU, NUM LEU, PAU COMEU! Quando os médicos loucos, conseguiram uma vela acesa, e voltaram à sala de parto, tomaram um susto! Minha mãe havia parido-me, e eu estava dentro da bacia, que é usada para aparar a placenta, que ficava no chão, há um metro e trinta de altura da mesa de parto! Cuidadosos, esses médicos! E ainda, queriam que ela colocasse meu nome de Velório. Isso é coisa que se deseje pra uma criança? Além de incompetentes, são loucos, também! Dizem, que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar, eu acredito, ele já caiu, mesmo. Mas, o meu caiu! Meu avô, do qual eu não guardo magoa nenhuma…queria que eu chamasse Demócrito. Credo, lá só tem gente louca! Vou contar uma coisa pra vocês, ainda bem que eu sobrevive a queda pra fugir de lá!

Google+ Badge

Google+ Followers

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Seguidores

Follow by Email

Google+ Followers